LA CHANDELEUR

Chaque année, le 2 février, c’est la Chandeleur : la fête des chandelles. En France, on la célèbre en préparant des crêpes. Des œufs, de la farine, du lait et le tour est joué ! Avec sa forme ronde et sa couleur dorée, la crêpe ressemble au soleil, cet astre qui nous éclaire. Et quand on la faitsauter dans la poêle, c’est comme si le soleil montait dans le ciel pour
faire plus de lumière ! Enfin… c’est une explication. Il y en a d’autres ! Ah bon, mais lesquelles ? 

(Todos os anos, o dia 2 de fevereiro é o Dia da Candelária ou de Nª Srª das Candeias ou da Luz: a festa das velas. Na França, é comemorado fazendo-se crepes. Ovos, farinha, leite e pronto! Com a sua forma arredondada e a sua cor dourada, o crepe assemelha-se ao sol, esta estrela que nos ilumina. E quando o fazemos saltar na frigideira, é como se o sol nascesse no céu para dar mais luz! Bem… isto é uma explicação. Há outras ! Claro, mas quais?)

Sugestões:
– procura outros significados deste dia;
– procura testemunhos de familiares franceses que celebrem esta data;
– procura a receita dos crepes…

Vai para a cozinha e faz crepes, para saboreares em família, à volta de histórias para mais tarde recordares.

Little boy cook tossing pancakes in frying pan. Junior chef wearing white hat and apron making dessert. Smiling child character flipping sweet crepes. Vector illustration isolated on white

Entrevista a Jéssica Silva

Os alunos do 8.º ano colocaram-se na pele de jornalistas e redigiram entrevistas que gostariam de fazer a algumas personalidades da atualidade. És tão curioso como eles? Aqui vai uma entrevista para ficares a conhecer melhor a Jéssica Silva.

Uma das melhores jogadoras de futebol

Jéssica Silva, jogadora de futebol portuguesa com 27 anos, já acarreta vários feitos e conquistas que são inimagináveis para muitas pessoas.

Faz parte da Seleção Portuguesa de Futebol Feminino e joga como avançada.

Quando é que descobriu esta paixão pelo futebol?

Acho que esta paixão existe desde pequena. Sempre senti uma forte ligação ao futebol, tanto que, quando ia ao quintal da minha avó, arrancava de lá laranjas das mágicas laranjeiras e punha-me a dar toques e chutes, imaginando que eram bolas de futebol (risos).

Em que clubes é que já jogou ao longo da sua vida?

Bem, eu já joguei em vários clubes, como Albergaria, Mazel SC, PSG, Braga e, atualmente, jogo no Sport Lisboa e Benfica.

Jéssica, em que ano foi a sua primeira internacionalização?

A minha primeira internacionalização foi em 2010. Nessa altura, eu jogava na União Ferreirense.

No início da sua carreira, quem era a sua maior referência?

No início da minha carreira, o meu ídolo, sem dúvida alguma, era e continua a ser o Cristiano Ronaldo, pois ele, no meu ponto de vista, é um exemplo a seguir em variados aspetos, nomeadamente, ao nível de concentração, foco, persistência, motivação…

Já que falamos de Cristiano Ronaldo, como foi o momento em que o conheceu?

Foi incrível! Ele foi supersimpático, atencioso e interessado. Conversámos sobre variadíssimos assuntos, principalmente sobre futebol. Foi uma experiência única, parecia um sonho tornado realidade.

No futebol nem tudo é bom. Alguma vez sentiu preconceito por ser uma mulher e jogar futebol?

Sim, já senti (…). Claro que, naturalmente, o homem é mais forte que a mulher, mas, em termos de qualidade técnica, as mulheres estão tão capacitadas como os homens.

Saindo do mundo do futebol, quais são os seus passatempos?

Os meus passatempos são ouvir música, ir a concertos, preferencialmente de cantores portugueses, e sair com os meus amigos e a família.

O que ainda lhe falta conquistar?

Já conquistei vários prémios, nomeadamente a Liga dos Campeões Feminina. Mas, sinto que o que eu quero alcançar, realmente, é o título de melhor jogadora de futebol do mundo.

Anita Silva – 8.ºC

Entrevista a Gonçalo Alves

Gonçalo Alves nasceu a 26 de julho de 1993. Com apenas um ano e meio já patinava. Iniciou-se no Famalicense, mas teve de mudar-se para Lisboa, em 2007, jogando no Sporting Clube de Portugal, ao comando do seu pai, Quim Zé, com quem trabalhou no Futebol Clube do Porto e Famalicense.

Em 2012, transferiu-se para o Oliveirense e, três anos depois, para o Futebol Clube do Porto. Na altura, já era um dos melhores hoquistas portugueses. No Futebol Clube do Porto, ganhou tudo o que tinha para ganhar e na seleção nacional não foi diferente.

Porquê escolher este desporto, hóquei em patins?

Bem, eu sou descendente de uma família com tradições na modalidade e tive o incentivo do meu tio Paulo Alves, que tinha como amigo o António Livramento, o melhor jogador de hóquei de todos os tempos. E claro, o meu pai, que foi um dos meus treinadores e que me ajudou muito a tornar-me no jogador que sou hoje. Foi determinante na minha carreira. Também a minha mãe, por incrível que pareça, me apoiava. Com uma família que adora hóquei, foi fácil escolher este magnífico desporto.

Sporting Clube de Portugal, por que motivo não o deixou antes dos sub-17, tendo tido melhores propostas?

Mesmo depois de eu ter sido Bicampeão Europeu de sub-17 e Campeão Europeu em sub-20, eu quis fazer algo pelo Sporting: levar o clube à primeira divisão, mesmo tendo muito boas propostas de outros clubes, nacionais e internacionais.

Por que motivo preferiu o Futebol Clube do Porto?

Eu escolhi juntar-me ao FC Porto porque foi onde sempre quis estar, e onde jogou o meu tio Paulo Alves, entre 1998 e 2003.

Qual é a sensação de ser um dos melhores marcadores de todos os tempos?

É incrível estar ao lado de nomes como António Livramento, Carlos Nicolia, Hélder Nunes e muitos outros.

O golo sempre foi muito especial para mim, é o finalizar de uma jogada trabalhada por toda a equipa. Gosto muito de marcar golos, sou avançado e tenho sempre essa motivação para marcar. No entanto, também fico feliz por marcarem outros colegas. Não há ninguém que não se sinta bem quando marca.

Tiago Gouveia – 8.ºB | Clube dos Jornalistas

Ação GNR violência doméstica/ violência no namoro

No mês de novembro comemora-se o Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres.

Neste sentido,em novembro e janeiro os agentes da equipa do Núcleo Escola Segura (NES), do comando da GNR de Guimarães, foram convidados a orientar uma ação de sensibilização sobre o tema violência doméstica/ violência no namoro para as turmas do 8.º ano. Esta ação teve como objetivos consciencializar e alertar os jovens para a ocorrência de alguns comportamentos abusivos nas relações de intimidade.

Aluno da EB e Secundária Arqueólogo Mário Cardoso vence em concurso de sensibilização para a importância da água

O aluno Francisco Carvalho, da turma do Curso Profissional de Técnico de Instalações Elétricas foi distinguido com o 1ºPrémio, na categoria individual, do Concurso “Não fiques à seca!”, promovido pela Universidade Católica no Porto, em parceria com a Águas do Norte, S.A., a Águas do Douro e Paiva e a SIMDOURO – Saneamento do Grande Porto. Este concurso foi idealizado em linha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) – Água Potável e Saneamento (ODS6) e Ação Climática (ODS13), desafiando os alunos do ensino secundário dos 80 municípios da região norte, a darem largas à sua criatividade e potenciando as suas competências de comunicação, realizando um vídeo, com uma duração limitada a 3 minutos, fazendo passar, através dele, uma mensagem clara baseada em informação credível e rigorosa, mas ao mesmo tempo criativa e assertiva, cumprindo o objetivo de sensibilizar para a importância e preservação da água.

O vídeo idealizado por este aluno, foi distinguido de entre mais de 60 vídeos e integra-se, plenamente, no nosso Plano Cultural de Escola, cujo tema é a “Água e o Rio Ave”. Da mesma forma no projeto A entidade promotora refere como principal objetivo desta iniciativa, “não só o de alertar os cidadãos de todas as idades, apelando à mudança de comportamentos e hábitos de consumo, como também fomentar uma maior consciência cívica sobre a importância da eficiência hídrica”.

Parabenizamos o Francisco pelo seu empenho e a toda a sua turma pelo apoio prestado na figuração e nas questões logísticas.

Dia da Pessoa Portadora de Deficiência

No dia 3 de dezembro celebrou-se o dia internacional das pessoas com deficiência. Na semana que antecedeu e que seguiu a esse dia, o Agrupamento assinalou o dia em defesa da dignidade, dos direitos, da participação na sociedade e bem-estar dessas pessoas com várias iniciativas.

O trabalho foi desenvolvido em vários contextos escolares (EB1/ Pré de Ponte, EB1 de Vila Nova de Sande e EB 2, 3/ Sec AEAMC).

Alunos de diversos anos de escolaridade e escolas do Agrupamento reuniram esforços com o CAA e ajudaram a sensibilizar a comunidade escolar para a situação das pessoas com deficiência e promover a sua inclusão. Houve música, cinema, desporto, atividades lúdicas de inclusão.

Um obrigado especial a todos os que colaboraram nesta atividade

Joyeux Noël et Bonne Nouvelle Année

Salut!!
No AEAMC, também se celebra o natal em francês.
Assim, deixamos-vos estas fotos, que falam por si mesmas, e levam a toda a comunidade os votos de JOYEUX NOEL et BONNE NOUVELLE ANNÉE!
Assim, tal como a receita:

Prenez une cuillère d’optimisme,Un grand verre de santé,Saupoudrez d’un peu d’argent Et arrosez le tout de bonheur.
Et voilà!
À janvier!